Sexta, 17 de Setembro de 2021
28°

Poucas nuvens

Pendências - RN

Anúncio
Cultura Cultura

O MESTRE E O GÊNIO MONTEIRO LOBATO

José Bento Renato Monteiro Lobato foi um escritor, ativista cultural, ecologista, diretor e produtor de edições literárias. Foi um importante editor de livros inéditos e autor de importantes traduções.

10/08/2021 às 07h19
Por: Paulinho porto
Compartilhe:
O MESTRE E O GÊNIO MONTEIRO LOBATO

 

 Monteiro Lobato nasceu em Taubaté, cidade do interior de São Paulo em 18 de abril de 1882, e falecido em São Paulo capital, em 4 de julho de 1948.

Em 1904 formou-se em Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, e regressou a Taubaté. No ano seguinte, fez planos de fundar uma fábrica de geleias, em sociedade com um amigo, pois nessa época passou a ocupar interinamente a promotoria de Taubaté. Neste período de sua vida também conheceu Maria Pureza da Natividade de Souza e Castro (conhecida como PUREZINHA, que viveu entre 1885 até 1959), que morava em São Paulo. Em 1906 começou a namorar Purezinha, que era uma jovem neta de Antônio Quirino de Souza e Castro (Dr. Quirino, orientador de Lobato em 1900). Orientador de Lobato em 1900. 

Em maio de 1907 Lobato foi nomeado promotor público na cidade de Areias, e casou-se com Purezinha, a 28 de março d 1908. Exatamente um ano depois nasceu Marta, a primogênita do casal. O casal teve quatro filhos: Edgard Monteiro Lobato, Marta Monteiro Lobato, Guilherme Monteiro Lobato e Rute Monteiro Lobato.

Em 1910 associou-se a um negócio de estrada de ferro e nasceu seu segundo filho, Edgar. Viveu no interior e nas cidades pequenas da região, escrevendo paralelamente para jornais e revistas, como A TRIBUNA de Santos, A GAZETA DE NOTÍCIAS, do Rio de Janeiro e a Revista FON-FON, para onde também mandava caricaturas e desenhos. Também passou a traduzir artigos do Weekly Times para o jornal O Estado de São Paulo, e obras da literatura universal, também enviando artigos para um jornal de Caçapava. Contudo, era visível a sua satisfação com a vida que levava e com os negócios que não prosperavam. 

No ano seguinte, aos 29 anos, Lobato recebeu a notícia do falecimento de seu avô, o Visconde de Tremembé, tornando-se então herdeiro da Fazenda Buquira, para onde se mudou com toda a família. 

De promotor a fazendeiro, dedicou-se à modernização da lavoura e à criação de animais. Com o lucro dos negócios, abriu um colégio externato em Taubaté, que confiou aos cuidados de seu cunhado. Em 1912 nasceu Guilherme, o seu terceiro filho. Ainda insatisfeito, mas desta vez com a vida na fazenda, planejou explorar comercialmente o Viaduto do Chá, na cidade de São Paulo, em parceria com Ricardo Gonçalves.

A Fazenda Buquira serviu, posteriormente, de inspiração para os personagens de seus livros e se tornou em nossos dias um centro de visitação turística, sendo que a casa-sede da fazenda ainda se encontra em seu estado original, situado à margem da rodovia atualmente denominada ESTRADA DO LIVRO, que liga a cidade de Monteiro Lobato á Caçapava.

Por. Lowry Landi

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários